search this blog

O Baile de Máscaras [Parte 1]

16 novembro 2015


Ela havia sido convidada para um baile, mas não seria qualquer baile. O convite relatava muito bem o endereço do Palácio das Fantasias, e especificava a maneira que se deveria ir vestida. Ao olhar mais para o fim do convite, fez uma observação importante o uso de máscara era indispensável. Ela exitou, Ágatha sabia muito bem o que isso significava, mistério. Por mais que quisesse muito ir e seus pais a tivessem repreendido, sabia que precisava vivenciar essa aventura e conhecer o que podia haver do outro lado da sua humilde casa. Não era todo dia que uma moça com poucos bens era chamada para a festa da realeza. Ela iria. E iria aproveitar o máximo.

Olhou para cama, sua ajudante já havia aprontado seu vestido que por sinal era lindo, seu acabamento de renda em um rosa claro perfeito, os saltos nude estava logo abaixo ao pé da cama, agora só faltava um pequeno detalhe. Ela não tinha máscara, Nunca precisou usar nada que escondesse seu rosto e mostrar o que verdadeiramente era. Uma garota de família humilde, cristã e se achava ter fé o suficiente para acreditar em Deus e seu amor. Uma vez pronta, se olhou no espelho, seus cabelos negros estavam presos acima da cabeça em um coque bem arrumado e cachos soltos nas laterais de seu rosto, jóias de pouco valor emoldurava seu pescoço e orelhas. Nunca se vira tão bonita. O motorista da sua pacata carruagem a esperava e gentilmente a ajudou para prosseguir caminho.

O palácio era naquele momento a coisa mais linda que ela já tinha visto na vida, se arrependeria amargamente se não estivesse ali para aproveitar aquele lugar, conhecer todos que adentravam e comer dos melhores manjares. Olhou para os lados afim de avistar alguém conhecido e nada. Observou também que era a única sem máscara. Enquanto chegava perto do enorme portão de madeira entalhado em flores, entregou o convite na mão do empregado rente a ele, o qual pediu que esperasse, pois ela estava sem máscara e assim não poderia entrar. Se sentiu desesperada, ela queria tanto entrar, que inferno. Ao levantar a cabeça, um jovem rapaz vestido no seu melhor traje social preto, fez um sinal em sua direção para que ela o seguisse. Não o conhecia, mas seu rosto quase todo tampado pela máscara negra poderia estar escondendo um novo amigo, e seus olhos cor de fogo era um convite para descobrí-lo.

Pediu licença ao empregado que a deixara plantada na escada do palácio e saiu atrás do rapaz que pediu para ser acompanhado. Ele havia ido para o jardim atrás da grande casa. Ela o alcançou e o encontrou na entrada do labirinto feito para as brincadeiras e caças do Rei que ali morava.

— Não tenha medo! Irei lhe dar o que precisa para entrar no Palácio das Fantasias. Só precisa vir comigo. Seus olhos avermelhados estavam focados nos meus, enquanto um sorriso se esboçava em seus lábios. 
— Eu irei. — Caminhei em sua direção convicta de que teria minha máscara. Ele segurou em minha mão e pôs se a se apresentar.
— Prazer, me chamo Lúcifer. Mas, meus amigos preferem Lúcio é menos informal. O seu é Ágatha, não? —  Ele sorriu. 
— Venha, vamos comigo! 


Continua...

4 comentários:

  1. Já estou ansiosa para a chegada da próxima semana para ler a próxima postagem!

    ResponderEliminar
  2. fiquei curiosíssima com esse final, hein? preciso confessar!

    beijo
    beinghellz.blogspot.com

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já sabe que te espero aqui na próxima segunda, Hellz!
      Bjs :*

      Eliminar

featured Slider

Show Sidebar (Default y )

Pinterest Gallery